Virgínia

Cristina Pereira

2021-04-29

Partilhe:


Pensar no lema rotário “Dar de si antes de pensar em si” pode ser o melhor lema para definir a Virgínia.
A Virgínia Manuela Coutinho Pereira nasceu a 18 de Abril de 1985, em Moreira de Cónegos. Frequentou o ensino escolar, quer em Moreira de Cónegos, quer em Vizela, onde nos conhecemos. Seguiu os seus estudos em Coimbra e depois em Lisboa.
 Não se ficou pelo nosso território à beira mar plantado. A Virgínia desbravou o Mundo! 

Miúda inteligentíssima, cuidadora de si e dos seus, foi e é um exemplo de quem insiste e persiste, recolhe os seus frutos. Um exemplo de superação!

Figura proeminente e amplamente reconhecida do Marketing Digital, fundou a Lisbon Digital School, onde ensinava aquilo que tão bem sabia fazer.

No mês de março do presente ano, foi-lhe diagnosticado um cancro Intra Hepático, nas vias biliares, estágio 4, sem cura, previsão de pouco tempo de vida.

A Virgínia faleceu no dia 20 de Abril de 2021, mas oito dias antes da sua morte, numa publicação na rede social Facebook, apelou a três coisas:
“1- Dêem sangue. Sou dadora há imensos anos, mas não imaginam a gratidão que senti em cada transfusão (foram umas 6) que me foi feita, por alguém se ter predisposto a dar parte de si a quem precisa. As reservas estão baixas, não custa muito. (…)
2- Não adiem os vossos exames de rotina. Tenho ecografias a todos os órgãos abdominais que tinha feito em fevereiro de 2020, e em março de 2021 é-me detectado um cancro, com um tumor de 11cm sem cura, e que não pára de crescer... Não descurem da vossa saúde.
3- Aproveitem a vida. Dêem valor ao pouco que por vezes parece que têm...”

Tornou-se viral a publicação, geraram-se centenas de comentários, todos eles a elogiarem as suas capacidades, a sua personalidade, a sua bondade para com o próximo; milhares de partilhas foram feitas; centenas de votos de esperança, de orações foram sendo feitas.
Na publicação que anunciou o seu falecimento, as suas irmãs informaram que nestas semanas esteve também a preparar um fundo, através da Associação Girls Move, para ajudar à criação de uma nova geração de mulheres líderes em Moçambique - mais especificamente através do projecto de mentoria Tech4Good. Dizia ela que este era um ponto bom no que aconteceu, poder planear, dizer às pessoas que as amava. Lamenta não ter visto todos os que gostava... Será o fundo Virgínia Coutinho para ajudar jovens adolescentes, em Moçambique, país de que tanto gostava. Para além do seu donativo, fica o pedido para quem quiser contribuir para que o mundo bonito que a Gi acreditava que conseguia ser, esteja a mais um passo de o ser.
Ora, a Virgínia, num momento incomensurável de dor, pensou primeiramente nos outros! Dedicou-se, na reta final de uma vida que ela merecia que fosse longa, a planear o futuro, através do Fundo Virgínia Coutinho, de mulheres líderes, em Moçambique
Um exemplo de resiliência, de coragem e de um altruísmo atroz!
Só alguém com um coração de ouro e de braços arregaçados é que enfrenta um diagnóstico terminal, com tamanha bravura, sempre a pensar no próximo, a dar coragem e ânimo a quem a rodeia, antes de pensar em si.
A Assembleia da República aprovou, por unanimidade, um voto de pesar pela sua morte, reconhecendo-lhe o seu mérito, ao dizer que: “O legado da sua curta vida mistura um empreendedorismo vibrante com a solidariedade a que se dedicava.”
Para a miúda que me escrevia dedicatórias, pensamentos e frases nos cantos das páginas dos livros e cadernos, terminando com a frase “Guarda bem isto, porque um dia eu vou ser famosa e isto vai valer muito dinheiro!”, o meu orgulho por ti não tem preço.
Descansa em paz!