Rotary Club de Vizela

Carlos Martins

2020-07-02

Partilhe:


Desde o dia 1 de julho, e durante um ano, passei a desempenhar as funções de Presidente do Rotary Club de Vizela. Para além de ser uma honra, terei o gosto de participar numa tarefa que já conheço, mas que é anualmente renovada, pelo facto das circunstâncias serem diferentes, de ano para ano. Felizmente, para além do apoio do quadro social, a execução dos projetos será acompanhada por responsáveis do Conselho Diretor e das Comissões de Serviços. Ou seja, um conjunto de pessoas vocacionadas para encontrar soluções, agindo com responsabilidade, numa fórmula singular de concretizar o que seja necessário fazer. Hoje, em colaboração com este semanário, facto que agradecemos, iniciamos uma série de artigos, que possam servir de esclarecimentos sobre as atividades deste clube de serviços, bem como uma informação generalizada sobre as diversas áreas de intervenção, de acordo com um objetivo claro, mas relativamente simples, que consiste em disponibilizar tempo e experiência profissional, em prol de outrem. Desde a sua fundação, em 19 de fevereiro de 1992, o Rotary Club de Vizela desenvolveu diversas ações, das quais se pode destacar a gestão do programa de cadeiras de rodas e camas articuladas, colocadas à disposição da comunidade vizelense, sem qualquer encargo, num serviço de primeira linha de intervenção. Também na área social, destaco a participação do clube na criação da AIREV, fruto do envolvimento de vários sócios nos seus órgãos sociais, após a apresentação do projeto em reunião do Rotary Club de Vizela. Uma ideia concretizada, em boa hora, tal a falta que fazia à comunidade. Destaco, também, a Universidade Sénior e o Curso de Alfabetização. Um espaço de desenvolvimento de atividades, que dinamiza quem queira participar, para que a partilha de um por todos constitua uma forma incentivadora de comunhão e de convívio. Daqui a pouco tempo, terá início mais um novo ano letivo e fica o convite, para todos os que queiram fazer parte de um projeto, que busca a satisfação pessoal, com ocupação de tempo de forma agradável. Uma nota para o reconhecimento profissional, que o clube leva a efeito há vários anos, de forma a valorizar quem mais contribui para o desenvolvimento da comunidade vizelense, em várias vertentes de trabalho. No mesmo âmbito, o clube promove a atribuição de bolsas de mérito, para alunos que se distinguem e frequentam estabelecimentos de ensino com êxito. Tivemos a oportunidade de colaborar com projectos de excelência, em colaboração com jovens que fizeram parte dos clubes mais jovens, denominados de Rotaract, Interact e Kids, os quais foram reconhecidos por terem participado, de forma determinante, em múltiplas ações. Os projetos do Rotary Club de Vizela constituem um orgulho imenso, pelos muitos anos de promoção dos princípios que guiam o movimento rotário. Refiro as causas, os valores e os comportamentos, baseados num conjunto de interrogações, que servem de análise crítica, sobre o que foi levado à prática, de modo a que seja melhorado constantemente. Há quatro perguntas, que acompanham a vivência de um rotário, designadas como Prova Quádrupla, que colocam em análise permanente sobre se o que é pensado, dito e feito, é em contexto de ser verdadeiro, ser justo para todos, se promove a boa vontade, melhorando as amizades e será benéfico para todos os intervenientes. Fazer parte de um clube rotário é uma distinção, pelos valores da sua base. Mas também uma obrigação, por causa de um escrutínio contínuo de valorização de causas, perante uma comunidade que pode aceitar ou não a existência de um grupo de intervenção, do qual possa desconhecer a sua razão de existir. Por isso, convido todos os membros da comunidade, para que esteja à vontade para nos visitar. As nossas reuniões, e instalações que nos estão entregues, são abertas à participação do público. Teremos todo o gosto em mostrar o que já fizemos, o que estamos a levar a efeito, mas sobretudo em partilhar o caminho a percorrer. Temos várias ideias, mas quanto maior o número de intervenientes, mais entenderemos o que é preciso fazer.