O Zandinga está de volta - fugiu da Câmara e faz oposição no jornal

Luís Almeida

2020-06-25

Partilhe:


Na edição do jornal da Rádio Vizela do dia 12 de março, tivemos a possibilidade de ler mais um artigo de opinião do Sr. João Ilídio Costa, algo inexplicável e inaceitável para a nossa democracia. Este senhor pediu demissão do órgão para o qual foi eleito e agora faz oposição no jornal, lamentável para ele e para quem permite. Se queria fazer oposição deveria ter continuado na Câmara. Contudo, e uma vez mais, fica demonstrada neste artigo de opinião, a vontade do Senhor dizer que está vivo e que, depois de ter sido o rosto da maior e mais humilhante derrota eleitoral do Partido Socialista de Vizela, aparece, dando sinais de mau perdedor, demonstrando que continua revoltado e que, mais do que tudo, não aceita a vontade do Povo, estando, por isso, contra a democracia e a forma como esta se organiza, provando as sábias palavras do povo de Vizela, que o Sr. João Ilídio Costa por onde passou deixou sempre a pálida imagem de um pastor evangélico. Neste ligeiro artigo de opinião, uma vez mais, o Sr. João Ilídio Costa vem lembrar o Zandinga Lesagi, personagem que ficou conhecida nos anos 80, quando aparecia na televisão, no final de cada ano, a prever os acontecimentos para o ano que estava prestes a entrar. Matou papas e presidentes norte-americanos com uma facilidade extrema. Dizendo-se parapsicólogo, tem um registo extraordinário de antevisões erradas. Para que todos não pensem que estou a mentir, gostava de deixar alguns factos que provam esta associação. Decorria o ano 2009, e o Sr. João Ilídio Costa, durante a campanha eleitoral, mais precisamente no dia 7 de outubro de 2009, no decorrer do jantar da Coligação Por Vizela, na Quinta da Torre, afirmou: “Miguel Lopes vai ganhar e o PS vai perder”, a verdade é que aconteceu precisamente o contrário. Decorria o ano 2013 e o Sr. João Ilídio Costa afirmava aos microfones da Rádio Vizela que Dinis Costa não tem condições de ganhar a Câmara Municipal de Vizela, “se fosse inteligente abandonava a política”. A verdade é que o Sr. Dinis Costa ganhou as eleições autárquicas desse ano. Decorria o ano 2017, e, no dia do debate dos candidatos à Câmara Municipal, o Sr. João Ilídio Costa, aos microfones da Rádio Vizela, afirmou que ia ganhar as eleições, que até tinha uma sondagem que dava uma grande vitória ao PS e que o Movimento Vizela Sempre ficaria em terceiro. A verdade é que o Movimento Vizela Sempre ficou em primeiro lugar e que o PS ficou, pela primeira vez, em terceiro numas eleições autárquicas, assim como perdeu todas as Juntas de Freguesia. A título conclusivo gostaria, também, de deixar algumas pérolas muito saborosas em que o Sr. João Ilídio Costa prova as suas contradições e o que diz não se escreve: - No dia 21 de fevereiro de 2013, disse à Rádio Vizela que nunca seria candidato à Câmara e no dia 22 de julho de 2017 apresentou a sua candidatura; - No dia 21 de fevereiro de 2013 disse que se fosse candidato nunca seria por um partido, mas por um movimento independente. No dia 5 de maio de 2017, viu o seu nome ser aprovado na Comissão Política do PS Vizela como candidato pelo PS; - No dia 19 de dezembro de 2009, afirmou que era contra a política dentro do quartel dos bombeiros, entretanto é apresentado como candidato do PS à Câmara e permanece nos bombeiros até ao aniversário, para ser ele a inaugurar a nova parada e o museu, assim como ser homenageado; - No dia 18 de maio de 2017, disse que saía dos bombeiros para ser candidato à Câmara, mas se perdesse voltava para os bombeiros, perdeu as eleições e não voltou; - No dia 21 de setembro de 2017, disse que colocaria em tribunal várias pessoas por ofenderem o seu bom nome e que esses seriam condenados por isso, a verdade é que todos os processos foram arquivados e ninguém foi condenado. Por fim, se achávamos que o Sr. João Ilídio Costa, agora que está afastado da política, iria deixar de entrar em contradição, o que se verifica é o contrário e nesse artigo de opinião prova isso mesmo, afirmando que a política deve ser encarada com espírito de missão, pelo que se deve colocar uma pergunta: Onde está o espírito de missão do Sr. João Ilídio Costa quando abandonou o lugar de vereador? Ou então, o Sr. João Ilídio Costa passou a campanha eleitoral toda a dizer que se fosse Presidente da Câmara recusava o salário – e neste artigo de opinião reforça essa ideia – mas a pergunta que se deve fazer é: porque é que, enquanto foi vereador, não recusou o dinheiro das senhas de presença? “BEM PREGA FREI TOMÁS, OLHA PARA O QUE ELE DIZ, NÃO OLHES PARA O QUE ELE FAZ.”