José Ribeiro Moreira de Sá e Melo (2)

Júlio César Ferreira

2021-06-09

Partilhe:


Vimos, em anterior artigo, no seu registo de batismo, que sua avó materna foi D. Joana Emília Moreira de Sá e Melo, natural da Freguesia de Santa Eulália, oriunda da nobre Casa de Sá e irmã mais nova da célebre poetisa D. Ana Amália Moreira de Sá e Melo e que a mesma avó e madrinha de batismo, tal como seus pais, António Ribeiro Pinto e Melo e Dona Luzia Julia Moreira de Sá e Melo, eram proprietários e recebidos na Freguesia de S. Miguel das Caldas de Vizela.

Na tentativa de fazermos o percurso de vida deste vizelense ilustre, deparamo–nos com um hiato, de cerca de vintena anos, em que desconhecemos por completo o seu percurso escolar, ou académico, pois só nos chegam notícias do seu casamento em segundas núpcias, com D. Armanda Ferreira Guimarães, casamento esse, cujo assento com o nº116, diz: “aos cinco dias do mês de setembro do ano de mil novecentos e oito, nesta igreja da freguesia de santo Ildefonso, da cidade e diocese do Porto, na minha presença, compareceram os nubentes José Ribeiro Moreira de Sá e Melo e Dona Armanda Ferreira Guimarães os quais sei serem os próprios, com provisão de dispensa de proclamas e ordem de recebimento e com os papéis de estilo correntes e sem impedimento algum canónico ou civil para o casamento: Ele, de idade de vinte e oito anos, viúvo de D. Emília Adelaide Cardoso Bastos Mello, proprietário, natural e baptizado na freguesia de Idães, concelho de Felgueiras e morador na freguesia de S. João das caldas, filho legítimo de Antonio Ribeiro Pinto e Mello, natural da dita freguesia de Idães e de D. Luiza Júlia Moreira de Sá e Mello, natural da freguesia da Sé de Braga e ela, de idade de vinte e três anos, solteira, capitalista, filha legítima de Francisco Gomes Ferreira Júnior, natural da freguesia de S. Martinho de Dume e de Dona Beatriz Ferreira Guimarães, natural desta freguesia, os quais nubentes se receberam por marido e mulher e os uni em matrimónio, procedendo ao acto conforme o rito da santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana. Foram testemunhas presentes, os quais serem os próprios, Miguel António Moreira de Sá e Mello, casado, proprietário, morador na freguesia de santa Eulalia de Barrosas Concelho de Lousada e Dona Luiza Moreira de Sá e Mello. E para constar lavrei em duplicado este assento, que depois de lido e conferido perante os cônjuges e testemunhas assino com todos. Era ut supra”.

Porém, José Ribeiro Moreira de Sá e Melo, teria casado ainda uma terceira vez, porque segundo uma notícia sobre o seu falecimento, publicada no extinto Noticias de Vizela, com data de 1 de Junho de 1947, diz – nos: 
“Na sua residência, à quinta do Mourisco, desta vila, faleceu às primeiras horas da madrugada de terça – feira (27/05/1947), o senhor José Ribeiro Moreira de Sá e Melo, de 68 anos, casado com a senhora D. Maria do Carmo de Menezes Moreira de Sá e Melo, pai do Sr. Francisco Cardoso Moreira de Sá e Melo, industrial.
O seu funeral, realizado na quarta–feira, pelas 10:30 constituiu verdadeira manifestação de pesar pela perda do ilustre vizelense e dedicado Vereador Municipal, Director da Companhia dos Banhos de Vizela, do Grémio da Lavoura, da Comissão da região dos Vinhos Verdes, dos Bombeiros Voluntários de Vizela, etc. etc., tendo no mesmo tomado parte a Corporação dos Bombeiros Voluntários de Vizela, Corpo Activo e Direcção, Direcção da Companhia dos Banhos de Vizela, Grémio dos Vinhos Verdes, etc. etc.
Dirigiu o funeral o Exmo. Senhor Flávio Faria, amigo da família
O Senhor José Ribeiro Moreira de Sá e Melo deixa o seu nome ligado a importantes causas de Vizela, por quem sempre trabalhou.
O «Noticias de Vizela» foi representado pelo Sr. Francisco A. P. da Costa, nosso querido Director”.
Como verificamos, nesta lutuosa noticia, José Ribeiro Moreira de Sá e Melo, para além de ligado a inúmeras causas e a nobres Associações de Vizelenses, foi vereador por Vizela, na Câmara Municipal de Guimaraes, como podemos constatar pelo Auto de Posse da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Guimarães, de 15 de Junho de 1931, nomeada por alvará do Meritíssimo Governador Civil do Distrito. “Aos quinze dias do mês de junho de mil novecentos e trinta e um, pelas vinte e uma e meia horas, nesta cidade de Guimarães, Paços do Concelho e sala das sessões da Camara Municipal, perante mim licenciado Américo de Oliveira Durão, Chefe da Secretaria da Câmara, compareceram os cidadãos Doutor António Coelho Mota Prego, Presidente da Comissão Administrativa cessante (…) Doutor Augusto Gomes de Castro Ferreira da Cunha, médico (…) José Ribeiro Moreira de Sá e Melo, proprietário (…)” 
Manteve–se até 15 de Novembro de 1945 como vereador da Câmara Municipal de Guimaraes, tendo prestado relevantes serviços ao engrandecimento de Vizela, até que em choque com o Presidente da Câmara da altura, Dr. Fernando de Castro Gonçalves, por causa do Hospital de Vizela (assunto de que nos ocuparemos em próximo artigo) renunciou ao cargo que de forma digna, nobre e de grande honra para Vizela, ocupava desde 1931.
Viveu, na quinta e casa do Mourisco (que mais tarde foi adquirida pelo Sr. Guilherme Caldas Peixoto) e foi proprietário da Fábrica do Pisão, como se pode verificar numa planta para construção de uma fábrica de cutelarias e pentes, cujo licenciamento foi feito em 1918. Esta construção, na verdade, terá sido uma ampliação e reconstrução de estruturas já existentes passando pela elevação do açude localizado junto ao balneário termal. 
Conforme facilmente se percebe na planta de localização o empreendimento que se diz localizado no lugar de Pisões, menciona de forma clara que o terreno é pertença de José Ribeiro Moreira de Sá Melo e situava-se, onde mais tarde, se construiu o edifício da Fábrica de Calçado Veleiro e as Confeções Caravela, ambos parcialmente demolidos, na margem esquerda do rio Vizela em frente ao balneário termal. Há poucos dias, em conversa com a Sra. Enfermeira e minha querida amiga Rosinha Coelho Guimarães, da Clinica da Ponte, ela me dizia que ainda tem documentos que referem o nome deste nosso ilustre antepassado.

Foi como vimos director da Companhia de Banhos de Vizela, ao tempo do Sr. António de Freitas Torres e José Leite da Costa Faria, como se depreende de uma notícia do Noticias de Guimarães de 25 de dezembro de 1932, da direcção da Companhia de Banhos de Vizela, “que faz publico que tendo procedido ao sorteio de nove obrigações do empréstimo de 1890, para amortização, foram sorteadas as dos números … que deixam de vencer juros desde o dia 1 de Janeiro de 1933 em diante (…)”

Em 21 de Março de 1969, em sessão ordinária, a Câmara Municipal de Guimaraes: “por proposta das Juntas de Freguesia de Caldas de Vizela, São Miguel e Caldas de Vizela São João e parecer do Excelentíssimo Senhor Comendador Joaquim de Sousa Oliveira, deliberou por unanimidade dar o nome de José Ribeiro Moreira de Sá e Melo, ao arruamento de ligação entre a Avenida Engenheiro Manuel Moreira de Sá e Melo e a Rua Doutor Abílio Torres (variante passagem de nível) em Vizela”

Como nota curiosa e interessante, esta avenida, por proposta de Francisco Costa, esteve para se chamar Avenida Heróis da Pátria e na sua placa deveria constar os nomes dos soldados vizelenses caídos em campos de batalha. Nesta sessão de Janeiro de 1969, diz apenas que a Câmara tomou conhecimento. 
Também por curiosidade, a Avenida atual dos Bombeiros Voluntários de Vizela, por proposta das Juntas de Freguesia de Vizela, em 1975, deixou de se chamar Av. Engº. Manuel Duarte de Sá Melo, nome que lhe tinha sido atribuído em sessão da Câmara Municipal de Guimarães, em 3 de Julho de 1962.