Haja esperança

Fátima Anjos

2021-04-29

Partilhe:


Com o fim à vista do Estado de Emergência e as boas notícias que fizeram eco na reunião do especialistas epidemiológicos realizada no início desta semana, renasce a esperança no que concerne à recuperação das nossas vidas. Ouvir dizer que podemos chegar a setembro com casos 0 de Covid-19 já é mais do que uma luz ao fundo do túnel, isto numa altura em que também chegam até nós boas novas oriundas do estrangeiro, nomeadamente de países como Israel, aonde se destaca uma percentagem mais elevada de vacinação e já se começa a falar em imunidade de grupo. 
Em Portugal, sabemos que ainda vai demorar algum tempo para que isso se verifique, mas queremos que maio possa significar a verdadeira reabertura que permita a recuperação da atividade económica de uma forma transversal, da restauração à cultura, passando por todos os setores gravemente lesados pelos dois anteriores confinamentos.
Aliás, a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal pediu esta quarta-feira ao Governo o fim das limitações horárias na restauração e similares já este fim de semana que se avizinha e não apenas a partir de segunda-feira, isto depois de ter sido anunciada a não renovação do Estado de Emergência. A secretária geral espera mesmo que esta decisão seja tomada esta quinta-feira pelo Governo na reunião de Conselho De Ministros. Uma proposta que visa o funcionamento a partir das 13h00, ao sábado e domingo, dos restaurantes localizados nos concelhos com menor incidência de Covid-19. Porque não, pergunto eu? Nesta luta pela sobrevivência todas as horas são fundamentais para recuperar o tempo perdido.

É a reabertura que ansiavamos. Mas sabemos também qual deve ser o nosso papel. Há que ter cuidado. Mas é uma reabertura que em Vizela quase coincidirá com a inauguração das obras de requalificação da Praça e do Jardim Manuel Faria e que está marcada para o próximo dia 08 de maio. Um dia que será Grande para Vizela como esperamos que sejam todos os dias seguintes e que possamos aproveitar os próximos meses de primavera e verão para desfrutar daquele renovado espaço pública que convida à sua permanência e talvez até mais do que isso. Convida ao regresso da Cultura a Vizela nesta fase de intermitência mas que exige a promoção de conteúdos e, sobretudo, de momentos, que nos possam fazer renascer do cinzentismo dos últimos 13 meses.

Haja esperança. Bom fim de semana.