Em defesa de todos os Vizelenses...

José Abreu

2020-05-21

Partilhe:


Todos estamos de acordo que a maioria dos cidadãos, até ao momento, cumpriu as medidas implementadas pelo estado de emergência, tanto no que respeita ao #FiqueEmCasa, como na redução de circulação de pessoas e veículos, nas estradas. De uma forma geral, todos nós nos deslocamos apenas em situações excecionais e de urgência. Todos temos de estar de parabéns, desde os intervenientes políticos (Câmara e Juntas), pela forma rápida e eficaz com que atuaram, bem como toda a população e todas as instituições do concelho de Vizela, pois mostramos como deveria ser o comportamento, num momento tão difícil para todos nós. Estão de parabéns todos os empresários e instituições em geral, que de forma voluntária e em parceria participaram ativamente na tentativa de combater rapidamente esta pandemia. Vizela foi um dos concelhos que conseguiu testar os utentes das diferentes instituições de solidariedade de Vizela, profissionais de Saúde, Bombeiros, Proteção Civil e autoridades, que ofereceu máscaras aos vizelenses, que fez apelo para que os vizelenses ficassem em casa, que ajudou os idosos e mais necessitados, tomou todas as medidas mais eficazes para permitir os meios de proteger todos, mas, todos os vizelenses. Podemos verificar pelo investimento feito, e falo em investimento, porque estamos a investir na saúde das Pessoas, no futuro dos jovens e no futuro de todos nós, nomeadamente no apoio aos comerciantes em redução de taxas, água e eletricidade, apoio aos Pais, apoio aos estudantes, e às Associação de Pais. Em suma, apoio às famílias, aos trabalhadores e às empresas, para evitar que a epidemia exponha ou aumente mais as desigualdades existentes na sociedade. Mas, enquanto se viu, em Portugal inteiro, todos os partidos a trabalharem em uníssono, o próprio presidente da ONU, depois de apresentar os dados em que refere: “Entre 5 a 25 milhões de empregos podem ser perdidos”, faz referência à urgência “não há tempo a perder” bem como à “necessidade de uma abordagem centrada nas pessoas, com respeito pelos direitos humanos e inclusão, igualdade de género e dignidade para todos”. Apela também às parcerias: “Nenhum país ganhará a luta contra a pandemia sozinho. O estudo aponta que “parcerias baseadas na solidariedade serão a peça central de todo o progresso”. E mais, afirma que o surto da covid-19 “é um momento decisivo para a sociedade moderna.” … “a história julgará a eficácia da resposta, não pelas ações de um conjunto de atores isolados, mas pelo grau de coordenação global.” Caros Vizelenses: Será “imperativo que as políticas orçamentais protejam as pessoas e empresas que ficaram mais vulneráveis com a crise”. “Para as famílias, os objetivos são suprir as necessidades básicas e evitar dificuldades desnecessárias. Estas ações incluem deferimento do pagamento de impostos, transferências de dinheiro, subsídios de desemprego aumentados e assistência social”. “Para as empresas, o objetivo é evitar sustos permanentes. As políticas orçamentais podem ajudar a preservar o emprego e os salários, mantendo capacidade que será crucial para a recuperação do emprego. Estas incluem evitar falências desnecessárias e liquidação de ativos. Numa emergência, é crucial atuar rapidamente e decisivamente”, o que implica “transparência” e “avaliações posteriores” das medidas prestadas. Mas, como todos sabemos as medidas em Portugal, tiveram algumas falhas (para alguns foram muitas) como se poderá concluir das notícias: “Medidas Fiscais em Países Avançados (em %PIB)”, Portugal é o penúltimo, ficamos em 33º lugar em 34 países, muito abaixo de todos os países do sul da Europa, esperemos que ajude a manter a maioria das empresas em funcionamento, depois da pandemia. Caros Vizelenses, cada vez mais a política precisa de verdade. O Governo, do PS, deveria dar um período maior para cobrar o IRC, pagamento por conta, o IMI, quando ainda não pagou o reembolso do IRS; não pode cobrar as dívidas à Segurança Social, quando ainda não pagou o lay-off; e não pode querer cobrar mais impostos, quando o dinheiro das linhas de crédito ainda não chegou às empresas”. O Governo continua a fazer propaganda, mas não paga as dívidas nem impede a pobreza. E dou outro exemplo uma medida que visava ajudar a implantação e dinamização do nosso tecido industrial de Vizela e que foi a apresentação de uma proposta por parte do CDS-PP e que consistia na criação de um acesso à autoestrada e zona industrial e a qual também é defendida pelo Partido Socialista de Vizela, que até afirmou que seria o único partido que colocou o assunto no programa eleitoral, mas a verdade é que o PS Nacional, chumbou a proposta do acesso à Autoestrada e às zonas Industriais, em plena Assembleia da República. Vizela, mais uma vez, ficou esquecido pelo PS Nacional e o PS de Vizela também se absteve da situação, pois nada disse aos vizelenses sobre o sucedido. Como será possível que em Vizela a oposição esteja contra tudo e contra todos, em especial o PS que esteve no poder, até ao anterior mandato, endividou os vizelenses, fez com que pagássemos os impostos no máximo, deixou o concelho endividado mas, se tivesse acolhido as ideias inovadoras e menos devastadoras para o concelho, por parte da Coligação, que no tempo certo e lugar certo as transmitiu, assim, Vizela teria desenvolvimento de forma mais sustentada e harmoniosa, com menos endividamento e os vizelenses teriam pago menos impostos. Contudo, caros vizelenses! - O estado de emergência foi substituído pelo estado de calamidade, no dia 2 de maio, isto implica uma retoma progressiva, mas, se puder fique em casa, se tem de sair, quer para trabalhar, quer para qualquer outros assuntos urgentes, não se esqueça da máscara, mantenha o distanciamento social, se possível, 2 metros entre pessoas, evite ajuntamentos, lave e desinfete com frequência as mãos e desinfete as superfícies onde toca…. Não esqueça que a autarquia já investiu, sim investiu cerca de 100 mil euros em testes imunológicos, depois de testar os utentes e profissionais das IPSS do concelho, que vai repetir, com a abertura aos familiares, a semana passada aos comerciantes e taxistas, aos docentes e funcionários das escolas e já esta semana a todos os alunos que regressam às escolas, e nos apoios, para que seja possível assegurar a confiança na população, para que seja possível o regresso às aulas com segurança e abertura do comércio tradicional na forma de testes imunológicos, para que possamos ter confiança … Proteja-se e proteja os que o rodeiam. Em suma, faço um apelo a todos os Vizelense, façam por ficar perto, mantendo a distância… SIGA AS INDICAÇÕES DA DGS! VAMOS TODOS FICAR BEM!