Editorial 30 de julho de 2020

Helena Lopes

2020-07-30

Partilhe:


1 – O assunto do momento continua a ser o Rio Vizela. Pelos piores motivos mais uma vez. Depois de a Câmara Municipal ter denunciado uma descarga poluente vinda da ETAR de Serzedo, com vídeos (drone) e fotografias, a preocupação parece ter voltado a despoletar nos vários meios. Também nos meios políticos. Assistimos à emissão de comunicados por parte de deputados eleitos por Braga na Assembleia da República a exigir explicações ao ministro do Ambiente, a apelar ao apuramento de responsabilidades. As perguntas estão lançadas, mas Vizela quer as respostas, será desta? Eis as questões. Certo é que o tema volta a estar em destaque nos meios nacionais, o “barulho” está a ser feito. Aguardemos. Para além dos responsáveis políticos, é necessário despertar outras vozes, assim entende a Liga de Amigos das Termas de Vizela que veio esta quarta-feira, em comunicado, dizer que “a população tem de ser chamada novamente, tal como foi feita na altura da petição, a exigir novas medidas”. E promete ações nesse sentido, nos próximos tempos. 2 - Santa Eulália, a única vila do concelho de Vizela, deveria estar com festa rija nesta altura do ano, ao assinalar as festividades em honra da padroeira. Assim não será, a ornamentação é inexistente e a programação musical também e a culpa é da pandemia que ainda nos bloqueia a normalidade da vida no dia a dia. No entanto, haverá festa, ainda que tímida e limitada ao número de pessoas, com medidas apertadas de prevenção da propagação do vírus. A paróquia liderada pelo pároco José Lemos vai levar a efeito, de igual forma, a eucaristia solene em honra de Santa Eulália, este domingo, às 10h00. A Rádio Vizela transmitirá a cerimónia em 97.2 FM e também em direto na sua página de facebook. Terá a oportunidade de participar e assistir, à distância, em segurança. De seguida a inauguração da requalificação do Adro da Igreja, que, a partir de domingo, terá o nome de “Alameda” tal foi a pretensão do pároco da Vila, ele que diz que agora Santa Eulália terá um centro cívico à sua altura. José Fonseca Lemos assinala, no sábado, 55 anos de sacerdócio, 40 deles dedicados à paróquia de Santa Eulália e, como marca, tem obra feita. Diz que não vai comemorar a data, foi lembrado há dias, por uma funcionária do “Casal do Telhado”. À sombra da sua reconhecida humildade diz que o importante é o dia de domingo, dia da padroeira, dia em que vai inaugurar outra obra sua, o Centro de Dia que nasce agora nas instalações do Centro Comunitário e que serve de complemento ao existente no “Casal do Telhado” e que vai acolher mais 30 utentes, assim que a normalidade regresse às nossas vidas, livre de vírus. É um homem de “mangas arregaçadas” e tem por trás uma equipa que o anima a avançar, sempre. Prova disso foi a concretização da grande obra que foi o “Casal do Telhado” e que mobilizou em massa a população que ajudou a saldar um grande orçamento. Tem uma rua com o seu nome, momento levado a efeito pelo Executivo de Dinis Costa, em 2013, em jeito de homenagem e no armário guarda a Medalha de Ouro de Mérito Municipal, atribuída pelo Município de Vizela em 2011, e pelo Município de Lousada em 2015. É homem de agradecer, mas não gosta de protagonismos, o bastidor é o seu lugar de conforto. Confidenciou ao RVJornal que nunca inaugurou uma obra que não estivesse paga, vai fazê-lo este domingo. Ainda faltam algumas dezenas de milhar de euros para que esteja totalmente liquidado o novo Centro de Dia, e estou certa de que, mais uma vez, comunidade e as entidades não o vão deixar na mão.