Editorial 25 de junho de 2020

Fátima Anjos

2020-06-25

Partilhe:


O último fim de semana em Vizela ficou marcado pela homenagem do Município de Vizela à memória de Alfredo Ribeiro e que se traduziu na colocação de um busto na entrada da sede da AIREV. Uma homenagem mais do que merecida e que reunirá unanimidade. Alfredo Ribeiro era pessoa de fugir dos holofotes mas, certamente, que a sua presença embora simbólica junto da instituição que fez de sua “casa” será inspiradora. Para aqueles que o conheciam e sabiam dos seus projetos, das suas aspirações e da sua dedicação e amor pelas crianças e jovens portadores de deficiência. Mas também para os que chegarão de novo e se questionarão sobre quem foi Alfredo Ribeiro. Ficarão a conhecer a história de um Homem com uma visão sempre muito à frente sobre o trabalho que tinha de ser feito para conseguir atingir os seus objetivos – a construção de um Centro de Atividades Ocupacionais de raiz com todas as condições para os seus utentes, a criação de um Lar Residencial para ajudar as famílias e, principalmente, quem não tem retaguarda familiar mas, também, a dinamização da Equipa Local de Intervenção, que vai às escolas e trabalha com crianças em dificuldades, bem como o Gabinete SIM, porque, desde sempre, reconheceu a Doença Mental como um dos graves problemas da sociedade atual e que vem sendo agravado pelas nossas rotinas cada vez mais avassaladoras. Agravado ainda mais neste tempo que vivemos e que é único. Enfrentar um confinamento sem pré-aviso, as escolas fechadas, o medo de contrair ou propagar um vírus para o qual ainda não existe vacina, as incertezas sobre o presente e o futuro, o receio de perder o emprego e com ele o de perder a casa. E depois o medo, o medo de ter medo e perder a saúde mental. O medo é um dos maiores inimigos da vida, porque nos impede de vivê-la. E não há heróis. Ninguém sabe o dia de amanhã. Eis a maior aprendizagem que poderemos retirar desta pandemia. Por isso, lembrar que a Câmara Municipal de Vizela tem ao seu dispor uma linha de apoio psicológico, que criou no âmbito da Covid-19, e que pode contactar, entre as 09h00 e as 17h00, através do número 800 101 999. O serviço é gratuito e do outro lado da linha estará uma equipa constituída por três psicólogas. Também no Gabinete SIM, valência da AIREV, o atendimento não tem custos. Neste caso deve ligar o 800 100 147. Hoje é você, amanhã posso ser eu. Ninguém sabe.