Covid-19 e as implicações na saúde ocular: olho seco

Deusa Pereira

2021-10-07

Partilhe:


A vida de todas as pessoas, tenha sido muito ou pouco, mudou após o surgimento da Covid-19 em Portugal. Muito mudou nas nossas rotinas, passámos a ter mais cuidado com a higiene das nossas mãos, comecámos a praticar o distanciamento social e a usar regularmente uma máscara facial que nos protege em larga escala dos vírus e bactérias. Uma extensa parte da população comecou a usar mais os meios digitais, inclusive população mais jovem.
Todas estas alteracões da nossa rotina tambem afectam a nossa saúde ocular e, sendo Outubro o mês da Visão, é  essencial falar-se sobre este tema. O uso da forma constante da máscara facial, uma das proteções mais eficazes contra a Covid-19, provoca constragimentos a nivel de secura ocular e tem-se verificado um aumento da incidência da doença do olho seco no último ano. 
A superfície ocular saudável é constituida por diversas estruturas, que estão interligadas em termos anatómicos, de  composição  e  de função  fisiológica, tais como filme lacrimal, glândulas lacrimais e acessórias,  sistema  de  drenagem  nasolacrimal,  conjuntivas bulbar e tarsal, pálpebras e nervos cranianos V e VII. O olho seco ocorre quando uma destas estuturas está anormal ou a funcionar de forma incorrecta. A superficie ocular necessita de um filme lacrimal dinâmico e estável para combater as agressões ambientais e imunológicas. Recentemente descobriu-se que este filme lacrimal saudável é constituido por um gel de glicocálice  aquoso-mucínico,  o  qual corresponde  à  maior  parte  do  volume  do  filme  lacrimal,  com uma camada lipídica externa protetora que evita a evaporação da  lágrima. 
O uso constante e excessivo das máscaras de proteção junto com o aumento do uso dos meios digitais faz com que esta camada lipidica nao seja eficaz na sua função e que ocorra a evaporação da lágrima. Esta situação ocorre porque o uso das máscaras reduz significativamente a propagação de ar para fora, no entanto o ar expelido tem que dispersar por algum sítio então a rota mais provavel é para cima, principalmente quando se usa máscaras faciais mais largas na zona do nariz e bochecas. Este ar que sobe força um fluxo de ar sobre a superficie da córnea e cria condições que provocam a evaporação do filme lacrimal resultando em manchas secas na superfície ocular, irritação ocular, desconforto e sintomas associados ao olho seco. Pessoas que anteriormente nao tinham olho seco começaram apos o uso de máscara facial, associado ao uso alargado dos meios digitais a apresentar queixas e sintomas associados a esta doença e pessoas que ja sofriam desta doenca verificaram um aumento dos mesmos.
O olho seco é uma doenca que provoca sintomas como sensação de corpo estranho, irritação ocular, ardor, hiperemia (olho vermelho), prurido,   fotofobia,   visão   enevoada   e   lacrimejo   excessivo. Estes sintomas pioram em ambientes secos, espaços com fumo, locais com aquecimento interno e também pelo uso alargado da máscara e pelo uso constante do computador.
Este aumento de incidência do olho seco em graus leves e moderados e que são provocados pela evaporação da lágrima resolve-se com o uso de gotas designadas lágrimas artificias que são o tratamento de primeira linha. No entanto, em casos mais severos o tratamento terapêutico é mais complexo e pode passar por terapia de conservação de lágrimas ou tratamento anti-inflamatorio, que se verifica bastante eficaz em todos os estádios da doenca, e descoberto mais recentemente com tratamento com luz pulsada. 
O facto de a máscara poder provocar sintomas de olho seco ou até piorar a doença nao deve ser usado como desculpa para nao se usar as máscaras faciais pois estas são o meio de proteção mais eficaz contra o Covid19.  Ter a máscara bem presa sobre o nariz e as bochecas de maneira a que nao interfira com o pestanejo e que impeça que o ar expelido suba é uma boa prevenção ao aumento dos sintomas. Também é importante limitar o tempo em ambientes com ar-condicionado e fazer pausas regulares dos dispositivos digitais seguindo a regra 20:20:20 (a cada 20 minutos descansar 20 segundos a 20 pés de distância ou cerca de 6 metros). Apesar de todas estas dicas o mais importante e o maior aliado para uma saude ocular saudável e confortavel é realizar consultas visuais regulares. A prevenção é sempre o melhor ‘caminho’.
Termino com a lembrança que o Lions como institução solidária que se une a várias áreas, também apoia a saúde visual da população em geral e em particular de familias carenciadas. Pode doar os seus óculos usados ao Lions que serão reciclados e ajudarão alguém que precise a ver melhor.