Vizelense Hannah Caldas com títulos mundiais na América

Títulos mundiais de remo indoor, nas distâncias de 500 e 1 000 metros e novo record mundial

A vizelense Hannah Caldas, que reside na Califórnia, nos Estados Unidos, venceu recentemente os títulos mundiais de remo indoor, nas distâncias de 500 e 1 000 metros, e estabeleceu um novo recorde mundial, segundo avança a Lusa.

Filha do vizelense Joaquim (Quim Zé) Caldas e irmã da antiga nadadora Ana Caldas, Hannah tem estado em destaque no desporto americano. Aos 43 anos, a atleta aproveitou o confinamento devido à pandemia de covid-19 para colocar a si mesma um novo desafio e os resultados foram dois títulos e um recorde no Campeonato do Mundo de Remo Indoor.

À Lusa, contou: “Há duas semanas ganhei a prova de 500 metros de remo indoor, em que igualei o recorde mundial. Essa foi uma prova feita em ‘live stream’, e agora consegui vencer a de 1 000 metros, mas só consegui alcançar o recorde mundial da minha categoria de idade”, conta, humildemente, a portuguesa, que aos 18 anos deixou Vizela para ir estudar nos Estados Unidos.

A idade ainda não lhe pesa e Hannah faz questão de se manter em competição com as atletas mais novas. Em entrevista revela que é isso que lhe traz motivação.

“Era um objetivo vencer estas provas. Tenho 43 anos, estou a competir com pessoas bastante mais novas e sei que quanto maior a distância mais difícil é para mim, porque sou uma atleta explosiva e dou-me bem em distâncias curtas. O meu objetivo é ser a melhor atleta que posso ser, independentemente da idade. Isso faz com que treine mais forte e não arranje desculpas”, disse.

Apesar do recorde do mundo, com o tempo de 03.11,1 minutos aos 1.000 metros, Hannah confessa que tinha como meta fazer menos e não pensa em desistir de alcançar essa marca. “Fiquei muito satisfeita pelo recorde, mas não consegui o tempo que tinha planeado, que era abaixo de 03.10,00. Espero em breve conseguir baixar desse tempo”, referiu. A modalidade de crossfit é a sua preferida e o remo sempre foi integrado nos treinos que fazia, nunca como uma competição por si só. A pandemia mudou isso.

“Todas as provas de remo que fiz anteriormente eram parte da minha preparação para o crossfit, mas este ano decidi participar porque foi durante a pandemia. Decidi fazer treino específico de remo, o que ajudou imenso, e ficou logo claro que era para ganhar e bater o recorde mundial”, recorda Hannah Caldas.

Com dois Crossfit Games no currículo, um dos quais em que representou Portugal e foi mesmo porta-bandeira do nosso país, a atleta afirma que não está nos seus planos voltar a essas provas. A vida profissional, como treinadora, tem agora a maior parte da sua atenção, mas o remo pode ser a próxima “paixão”. “Participo em competições de crossfit há 10 anos. Estive em todos os regionais, dois Crossfit Games e acho que preciso de tempo para mim, para me dedicar ao trabalho e fazer outras coisas que como atleta não consigo. Mas o remo é uma modalidade em que gostaria de continuar e, quem sabe, remar na água. Com um bom treinador, e se me dedicar, acho que posso chegar a um bom nível”, termina a vizelense a residir em San Diego, nesta entrevista à Lusa.

Fonte: Lusa

PUB___