Vizela quer Museu da Mota na Rede Portuguesa de Museus

O projeto de requalificação do edifício do “Castelo”, apresentado publicamente em março deste ano, prevê a edificação, neste local, de um Museu da Mota e outra sobre a Luta Autonómica.

Em causa estará um dos maiores investimentos do concelho, cerca de 4 milhões de euros, e a sua execução está dependente de financiamento comunitário que a autarquia considera ser possível face às verbas destinadas a Portugal no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência.

Na passada semana, Victor Hugo Salgado, presidente da Câmara Municipal de Vizela, reuniu com a secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, para abordar a questão do financiamento desta infraestrutura, mas, principalmente, para que ambos os museus – da Mota e o da Luta Autonómica – “sejam aprovados pelo Ministério da Cultura” e que criem “condições” de estes serem integrados na “Rede dos Museus do nosso país e, nesse sentido, ter um parecer favorável para que, quando abrir a linha de apoio a estas infraestruturas, quer no âmbito do Plano de resiliência, quer no âmbito do quadro comunitário, termos todas as condições para o financiamento da obra”, disse, à Rádio Vizela, Victor Hugo Salgado.

O edil vizelense acredita que ambos os espaços têm critérios que lhes permitam integrar a Rede Portuguesa de Museus, no entanto, ainda há trabalho a ser feito: “Não depende unicamente da obra ou das especificidades da construção em apreço, depende também da forma como este edifício e estes museus possam vir a ser dinamizados, tem de haver um projeto bem definido e bastante claro sobre o que vai ser feito, como a exposição vai ser apresentada ao longo dos vários anos, estamos a preparar toda a documentação, iremos ter uma reunião com a Direção Regional de Cultura do Norte, para darmos os mesmos passos que demos relativamente à Praça da República”.

 

PUB___