Restauração aliviada com abertura das esplanadas

Reportagem para conferir na íntegra no RVJornal, esta quinta-feira nas bancas.

  1. Desde segunda-feira que os estabelecimentos de restauração estão autorizados a retomar o serviço em esplanadas, com um limite de quatro pessoas por mesa. Estes estabelecimentos devem encerrar às 22h30 durante a semana e às 13h00 aos sábados, domingos e feriados. Setor ganhou um fôlego extra, mas espera pela próxima fase, a 19 de abril, quando poderão atender no interior dos estabelecimentos.

 “Se continuar assim vai correr bem”

Luísa Oliveira, funcionária da pastelaria Ponto de Pérola

Em declarações à Rádio Vizela, Luísa Oliveira, que há cinco anos trabalha neste espaço, garante-nos que o negócio, com a abertura das esplanadas, “está a correr bem”. “A maior parte está a cumprir, se continuar assim vai correr bem, mas se começarem a juntar-se grupos maiores, a tirarem cadeiras de um lado para colocar no outro, como às vezes fazem, se calhar vai piorar”, conta-nos.

Duas semanas a servir ao postigo, serviu “para dar um bocadinho de ânimo” e para perspetivar que a seguir vinha uma fase melhor. “Mesmo para as pessoas, acho que foi bom para as duas partes”, refere.

“Seja de outra forma ou de outra, o que interessa é estarmos abertos”

Carlos Vieira, sócio-gerente do salão de chã Bolacha Real

Juntamente com a esposa, Carlos Vieira abriu há quase sete anos o seu estabelecimento e prepara-se para abrir um novo, no concelho de Guimarães. Nesta nova fase de desconfinamento, Carlos Vieira está satisfeito com a adesão dos clientes. “Seja de outra forma ou de outra, o que interessa é estarmos abertos, e desde que abrimos [a esplanada] correu tudo muito bem”, garante o responsável, alertando, contudo, que “a chuva preocupa”, uma vez que se o estado do tempo piorar, as esplanadas não terão a mesma procura.

“Estamos a trabalhar melhor à hora de almoço, mas ontem [segunda-feira], como foi quase feriado, trabalhámos muito ao pequeno-almoço, almoço e ao lanche”, diz-nos Carlos Vieira que lamenta, no entanto, o horário imposto para os fins de semana.

“Não me lembro de trabalhar tão bem”

Pedro Guimarães, funcionário do Café Lameira

Na Praça da Restauração, que o Município de Vizela criou para ajudar os estabelecimentos deste setor que funcionam na Praça da República, conversámos com Pedro Guimarães: “Está a correr maravilhosamente bem, ontem [segunda-feira] trabalhámos muito bem, o pessoal respeitou as regras, não deixámos juntar mesas, mesmo as pessoas que quisessem nós não deixávamos, vendemos muitos finos, cerveja de pressão, pois as pessoas não têm isso em casa. Não me lembro de trabalhar tão bem como ontem [segunda-feira]. Que venham muitos dias assim, já precisávamos disso, esperemos é que continue assim”.

“A partir do dia 19 já poderemos abrir as portas”

Agostinho Ribeiro, proprietário da Adega Avelino

Agostinho Ribeiro não tem usualmente o serviço de esplanada no seu estabelecimento, contudo instalou duas mesas no exterior, que têm servido, sobretudo, para funcionários de empresas que já há alguns meses têm feito as suas refeições nas próprias empresas. O proprietário está ansiosamente à espera do dia 19 de abril, a terceira etapa do plano de desconfinamento, altura em que os restaurantes já poderão receber no seu interior os clientes: “Já sabemos que quem tem esplanadas nesta fase está em vantagem, mas continuamos agora com a entrega ao domicílio e o takeaway, que ao fim de semana tem maior adesão. Agora sabemos que temos mais quinze dias para aguentar esta situação. A partir do dia 19 já poderemos abrir as portas, com quatro pessoas por mesa, o que já será bom”.

Reportagem para acompanhar no RVJornal, esta quinta-feira nas bancas.

 

PUB___