Pré Escolar: Nem todos os alunos regressam 2ª feira

Agrupamentos têm tudo pronto para receber os alunos.

A 01 de junho retomam as atividades do ensino pré-escolar. Os Agrupamentos escolares do concelho têm tudo praticamente pronto para receber os mais pequenos. Mas muitos permanecerão em casa, por opção dos pais.

A Câmara Municipal de Vizela vai agir no pré-escolar da mesma forma que o fez aquando da retoma das aulas presenciais para os 11º e 12º anos, isto é, vai testar as crianças, os professores e os assistentes operacionais. “No entanto, não será feita a distribuição de máscaras, mas a Câmara foi a primeira do país a adquirir chapéus com uma viseira, que serão distribuídos a todos os alunos que vão regressar”, referiu ao RVJornal o presidente da autarquia de Vizela. Além disso, a Câmara vai distribuir máscaras para todos os professores e funcionários e serão feitos testes de despistagem à Covid-19.

“Vamos pedir as autorizações aos pais, mas vamos fazer estes testes com uma ligação mais próxima da família, isto é, acompanhados pelos próprios pais (…) para que a criança esteja mais à vontade durante esse período”, explicou Victor Hugo Salgado.

A autarquia terá também um papel ativo no que toca à sinalética, a higienização e desinfeção dos espaços e distribuição de álcool gel.

Victor Hugo Salgado sabe que alterar hábitos de vida das crianças em nada se compara quando se tratam de adultos, mas, ainda assim, está otimista: “Um total conforto nunca existirá, temos é que criar condições para que ele exista paulatinamente e seja mais seguro esse regresso”.

“As suas educadoras estarão lá para os receber”, Abílio Costa

Todos os seis Jardins de Infância do Agrupamento Escolas Caldas de Vizela vão reabrir as suas portas no próximo dia 01 de junho. “Estamos a preparar essa retoma com base nas orientações publicadas no final da última semana, recrutando assistentes operacionais e técnicos para dar apoio, e fazendo regressar os docentes, as educadoras necessárias para que todas as condições de segurança, de higiene estejam garantidos”, refere o diretor Abílio Costa. Para que tudo decorra dentro da norma de segurança, foram adotadas inúmeras medidas para receber os mais pequenos, entre elas, referiu Abílio Costa, uma “sala única para o grupo de alunos, a distância de segurança relativamente às educadoras e às assistentes operacionais e todos os espaços que não estejam ao serviço do Jardim de Infância terão que ser encerrados, ficando sem qualquer utilização”. Apenas as educadoras e as assistentes usarão máscara e a receção às crianças também terá regras apertadas. “A receção às crianças será feita no exterior, será necessário mudar o calçado, substituindo-o por outro que deixarão na escola permanentemente e que será desinfetado todos os dias. A circulação entre as partes sujas e limpas terá que ser devidamente sinalizada, e essas zonas serão obrigatórias para que não haja qualquer tipo de contágio”, frisa o responsável.

De louvar, disse Abílio Costa, são todas as medidas de apoio que chegam da autarquia, de que é exemplo a distribuição de chapéus-viseira. “São sempre medidas bem aceites e necessárias para que tudo corra dentro da normalidade e para que se transmita confiança a toda a comunidade que vai frequentar esses Jardins de Infância, de forma a que não haja qualquer tipo de contratempo”, adianta Abílio Costa.

Nem todos vão regressar à escola, muitos permanecem em casa, na maioria dos casos, com os avós. “Depende do Jardim e da sala também, há desde 50% de regresso, há outros entre os 20% e os 30%, mas nunca na sua totalidade. Isto do levantamento prévio que fizemos para a primeira semana, agora nas semanas seguintes – estamos a falar de quatro semanas, desde 01 de junho até 26 de junho –ainda estamos a apurar”.

Abílio Costa está otimista: “Estamos a criar todas as condições e não poderia dizer que não estou otimista no regresso das crianças ao pré-escolar, embora sei que algumas famílias têm receio”. “Mas quero dizer aos pais que estamos a criar todas as condições para que as crianças tenham condições de acolhimento nos respetivos Jardins. As suas educadoras estarão lá para os receber, teremos um reforço por parte dos assistentes, quer operacionais quer técnicos”.

“Há pais que têm os filhos com os avós e assim vão permanecer”, Rosa Carvalho

Os quatro Jardins de Infância que integram o Agrupamento de Escolas de Vizela – Infias reabrirão portas a 01 de junho, garante a diretor Rosa Carvalho. A organização da reabertura foi feita de acordo com as orientações da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e da Direção Geral de Saúde, em articulação com a Câmara Municipal de Vizela, equipa da Direção, coordenadores de estabelecimento, educadores, assistentes operacionais e Associações de Pais. “À semelhança do que fizemos para a reabertura do Secundário, todas as escolas foram higienizadas, organizadas de maneira a prevenir a propagação do vírus”, explica a responsável. A prioridade, diz, serão as atividades ao ar livre, aproveitando também o bom tempo da época. Além disso, “foram colocados dispensadores de álcool gel à entrada da escola e das salas, nas casas de banho e no refeitório”. “Procedeu-se à criação de um espaço de área suja à entrada da escola, onde os alunos deixam o calçado, o casaco e as mochilas que trazem de casa. E no espaço escola utilizam o calçado específico que trazem de casa e que ficará no estabelecimento, ao final do dia será higienizado para o dia seguinte”, explica a diretora.

Das salas foram retirados os brinquedos e objetos desnecessários e foi feita desinfeção profunda aos espaços e a todos os materiais que serão utilizados. O distanciamento está garantido e as mesas do refeitório estão assinaladas. “Teremos percursos distintos a utilizar pelos diferentes grupos de turma no interior da escola, procedeu-se à limpeza dos parques infantis. A Câmara vai testar todos os alunos, educadores e assistentes operacionais, isso é uma mais-valia para todos”.

Os pais, acrescenta Rosa Carvalho, estão um pouco preocupados. “Há pais que têm os filhos com os avós e assim vão permanecer. Em S. Miguel, apenas 35% dos alunos vão regressar, na EB de Infias serão 50%, em Tagilde 28% e na Escola Básica de S. Paio só 20% irão voltar à escola este ano letivo.

“Tudo faremos, como sempre, pela segurança dos vossos filhos, apelando também à colaboração e à articulação de todos os intervenientes”, rematou Rosa Carvalho.

Para conferir no RVJornal desta semana que já está nas bancas.