Plataforma online para apoiar comércio e restauração

O novo Plano de Contingência está dividido em três áreas e foi apresentado terça-feira.

O presidente da Câmara Municipal de Vizela (CMV) deu a conhecer o 5º Plano de Contingência da autarquia, composto por 35 medidas para dar resposta à pandemia covid-19. O novo Plano de Contingência está dividido em três áreas.

A primeira delas foca-se na Saúde Pública e abrange 20 medidas, muitas delas de continuidade face aos anteriores Planos de Contingência, nomeadamente a manutenção do centro de rastreio; da linha de apoio à covid-19; as reuniões de Câmara e da Assembleia Municipal por videoconferência; manutenção do encerramento dos parques infantis, das bibliotecas, do Espaço Internet; realização de testes aos funcionários, professores e alunos; aos funcionários do Município. Mas há mais, concretamente a continuação da distribuição de equipamentos de proteção individual e de kits pelas Instituições Particulares de Solidariedade Social e outros parceiros; manutenção da suspensão de iniciativas da autarquia que envolvam aglomeração de pessoas; campanhas de sensibilização; e nova distribuição de máscaras a toda a população.

 

Apoios ao associativismo e às famílias carenciadas mantêm-se

 

A segunda área do novo Plano de Contingência é o de Mitigação Económico-social, de forma a apoiar as famílias fragilizadas economicamente e, simultaneamente, apoiar o comércio tradicional e a restauração. Neste âmbito, as medidas principais serão também para manter, desde logo o apoio ao associativismo cultural e desportivo. “Mesmo havendo associações que não têm atividade ou têm atividade reduzida nunca irão receber menos do que aquilo que receberam no ano anterior em que tinham a sua atividade”, garantiu Victor Hugo Salgado, presidente da CMV.

O plano de emergência alimentar e de higiene – que é complementar ao apoio dado pela Santa Casa da Misericórdia de Vizela - terá também continuidade nesta quinta fase, assim como continuam abertos os prazos para que quem precise possa solicitar o apoio da autarquia.

Quando este plano foi apresentado ainda não eram conhecidas as medidas que o Governo irá anunciar para um novo estado de emergência. Assim, salientou Victor Hugo Salgado, os apoios ao comércio, à restauração e aos mercados e feiras estão dependentes do que for decretado. Contudo, referiu, se os mercados e feiras forem suspensos a CMV irá prolongar a suspensão do pagamento das taxas, já os comerciantes e a restauração serão compensados no que concerne ao pagamento das faturas da eletricidade, água e dos resíduos. A principal novidade será a criação de uma plataforma online para que os comerciantes e a restauração possam vender os seus produtos: “A produção do conteúdo para o comércio tradicional é mais fácil e por isso [a plataforma] aparecerá primeiro, quanto à restauração será apresentada ligeiramente depois. Mas pretendemos nestes dois próximos meses criar condições para que esta plataforma esteja disponível.

 

Município disponibiliza-se a investir para que vacinação seja mais célere em Vizela

 

A terceira área apresentada por Victor Hugo Salgado refere-se à Vacinação. Para o presidente da CMV, o plano de vacinação de Portugal está “muito moroso” e, por isso, “deve ser melhorado”. Deste modo, “a CMV está predisposta a trabalhar em parceria com as Unidades de Saúde Familiar e com a Administração Regional de Saúde do Norte para que a vacinação em Vizela seja feita de forma mais eficaz”. Desde que as vacinas estejam disponíveis, a CMV propõe-se promover um plano de vacinação municipal, está disponível para avançar com uma campanha de sensibilização para a vacinação e criar um centro de vacinação municipal. Se tal se concretizar, este centro ficará localizado junto ao Centro de Saúde de Vizela e será composto por oito postos de vacinação. O Município compromete-se a fazer o investimento nesta estrutura e também a pagar a equipa técnica habilitada para fazer a vacinação. “Se forem disponibilizadas por parte do Governo as vacinas necessárias para se proceder à vacinação no concelho de Vizela, nós temos uma estrutura que nos permite rapidamente acionar um plano de vacinação municipal. (…) temos uma metodologia tão bem estruturada que em poucos dias conseguimos fazer a vacinação dos grupos prioritários”, garantiu o edil.

PUB___

MAIS NOTÍCIAS___