Paulo Alves: “História bonita na competição para honrar"

O Moreirense recebe este domingo o Estrela da Amadora, na 2ª jornada da Taça da Liga

O Moreirense recebe este domingo o Estrela da Amadora, na 2ª jornada da Taça da Liga. O jogo está marcado para as 17h00 e foi projetado ao final da manhã deste sábado, pelo treinador Paulo Alves.

Com a vitória por 2-1 em Penafiel, os cónegos colocam ainda mais importância neste confronto, uma vez que querem continuar com a perspetiva em aberto de atingir a próxima fase: “A importância tem de estar sempre no limite em relação a tudo o que diz respeito à competitividade da equipa. É um jogo importante nesse sentido, e nós obviamente não vamos descurar qualquer possibilidade de seguir em frente. Nestas competições curtas, cada jogo é quase decisivo. Foi importante a vitória e a reviravolta em Penafiel e amanhã não o será menos. Nesse sentido temos que estar no máximo, fazer o nosso trabalho, no sentido de sermos consistentes e ganhar mais um jogo.

Em relação ao Estrela da Amadora, diz que tem crescido:  “É uma equipa que tem vindo em crescendo, em termos de resultados e exibições, com jogadores experientes, alguns com experiencia de 1ª Liga e um treinador muito experiente nesta Liga. Por si, isso torna o jogo muito difícil para nós. Isto não é novidade, e temos de estar à altura, ter a noção que para conseguirmos dar mais este passo temos de estar preparados para este jogo e impor-nos diante dos nossos sócios e dos nossos adeptos. Temos que ser sérios e responsáveis no que fazemos”.

Desta vez o treinador teve mais tempo para preparar o jogo: “Ajudou a recuperar, mas vivemos de jogos e competição. Queremos competitividade e queremos jogar. Não há muito que possamos fazer, temos de lidar com esta realidade, o calendário determinou estes hiatos, estas paragens e depois de uma maior densidade. Em função disso temos de escolher sempre aqueles que nos parecem estar melhor condição física e tática para que estejam sempre no máximo para corresponder em cada jogo”.  

Paulo Alves deixou a sua opinião, sobre a paragem dos campeonatos, devido ao Mundial: “Estamos a lidar com uma situação nova, com o Campeonato do Mundo nesta altura temos de ir gerindo a situação quase à vista. Não temos grandes noções do que tem de se fazer neste tipo de situação. Há ruído, é normal, porque há treinadores que acham que era importante manter as dinâmicas e as rotinas que têm, para outros, não tendo as equipas bem, não é mau ter uma paragem para reajustar e trabalhar um pouco mais. Vamos ter sempre opiniões diversas nesse sentido. Nós felizmente estamos bem e dentro dos jogos que temos vamos continuar a dar o máximo, manter a equipa com bons índices de competitividade. Não vale a pena estar muito a pensar nisso”.

O treinador abordou ainda os contornos desta competição que parece não atrair muito os adeptos, muito mais com jogos do Campeonato do Mundo a passar na televisão a toda a hora: “Está tudo a acontecer ao mesmo tempo, é natural e normal que os jogos do Mundial interfiram e que o perfil da competição não atraia muito os adeptos dos clubes, que não lhe dão importância, porque acham que as suas equipas não têm possibilidades. O Moreirense tem uma história muito bonita nesta competição e temos que a respeitar e que da honrar, se pudermos vamos seguir em frente. Já provamos que podemos ombrear seja contra quem for. Vamos dar o máximo, porque queremos seguir em frente”, rematou o treinador.

O jogo entre o Moreirense e o Estrela da Amadora joga-se este domingo às 17h00, com arbitragem de Anzhony Rodrigues da Associação de Futebol da Madeira e relato na Tarde Desportiva da Rádio Vizela.

PUB___