Mãe de basquetebolista do FC Vizela cria petição pública

O objetivo é a recolha de assinaturas para promover a retoma do Desporto de Formação e Competições

Carla Fernandes é natural de Guimarães e é mãe de Isabel Azevedo, atleta Sub-14 do Basquetebol do FC Vizela. Cansada, como tantos outros pais, pela inatividade dos filhos, há já um ano decidiu criar uma petição pública denominada “Retoma do Desporto de Formação e das respetivas competições”. O objetivo como salienta é “recolher 10 mil assinaturas para que se possa discutir na Assembleia da República esta temática, tão importante para as nossas crianças”

Nesta petição é referida a urgência em encontrar soluções para este problema que se arrasta há meses. “Como Pais, Encarregados de Educação e demais interessados, sentimos que chegou a hora de juntar a nossa voz às diversas Federações desportivas, aos treinadores e a todos os outros agentes desportivos que pedem, sistematicamente, a retoma do desporto de Formação, nomeadamente as competições. Todos estes importantes setores da nossa sociedade continuam a ser ignorados, não obstante pretenderem apenas soluções para um problema que se arrasta desde março de 2020, e que têm como principais prejudicados as nossas crianças, adolescentes e jovens, bem como todo um futuro no Desporto nacional”.

Com três filhos desportista, impedidos da sua prática, sente-se impotente, perante esta situação, e como tal decidiu agir. “Praticam desporto desde os cinco anos e privá-los disso, de lutar pelos seus sonhos é assistir à frustração e aos danos que tudo isto lhes está a causar”.

Nesta petição são arrolados uma série de testemunhos de várias personalidades nacionais, como o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, de Miguel Guimarães, Bastonário da Ordem dos Médicos, de Carlos Neto, Professor Catedrático da Faculdade de Motricidade Humana de Desporto e mesmo da própria OMS, que tem tido um papel preponderante durante esta pandemia, em novembro de 2020, emitiu um documento sobre recomendações para atividade física, alertando para os perigos do sedentarismo. Por tudo isto é questionado: “Porque a nível governamental se tomam medidas que vão em contrário a estas diretivas? Porque países, como a França, Inglaterra, Espanha, Itália, já retomaram as suas competições, mesmo com números altos de COVID 19 e Portugal não?”

A petição termina com um apelo a que todos assinem esta petição, alertando-se para todos os benefícios da rápida retoma da atividade desportiva.

“Como Pais, Encarregados de Educação e Cidadãos, estamos conscientes dos perigos associados à retoma das competições neste contexto de pandemia, mas também estamos conscientes de outros problemas associados à não realização de desporto por parte dos nossos filhos, tão ou mais prejudiciais a longo prazo que a COVID 19: sedentarismo, horas de ócio que facilmente poderão levar a casos de obesidade, a problemas de ordem psicológica, nomeadamente depressões e estados de ansiedade! Falamos de jovens que sempre estiveram habituados a fazer desporto, jovens que se começavam a apaixonar pelas distintas modalidades desportivas, pelo desporto e pelos seus benefícios”.

Carla Fernandes recorda ainda o facto de o Governo estar a ignorar as considerações da própria Assembleia da República.

“Tendo em consideração que a própria Assembleia da República, aprovou uma resolução a 5 de fevereiro, na qual recomenda ao Governo, a adoção de “medidas com vista à retoma da prática desportiva e normalização gradual das competições em contexto de pandemia”, na qual pode ler-se no ponto 3: “Adote, de acordo com as normas sanitárias, medidas de incentivo à prática desportiva e à normalização gradual das competições, incluindo as camadas mais jovens e de formação e o desporto para deficientes.”, pedimos a Vossas Excelências que se foquem no problema destas crianças e jovens e que assim que este confinamento terminar e as suas atividades escolares presenciais reiniciarem, permitam também que o Desporto retorne à normalidade, o que inclui as competições desportivas nos diversos escalões de formação”.

Refira-se por último, que a petição pode ser assinada através do link:

https://peticaopublica.com/?pi=CarlaFernandes  

PUB___