Irene Costa assume legado de excelência do Lions Clube

Nesta terça-feira, dia 30, à noite decorreu a cerimónia de transmissão de tarefas.

Armindo Faria deixou o cargo de presidente do Lions Clube de Vizela (LCV), função que – durante um ano – passa para as mãos de Irene Costa. Mas antes, a noite desta terça-feira contou com a admissão de três novos associados. Joaquim Meireles, Manuel Pedrosa e Maria José Peixoto juntaram-se à família do LCV, que passa a contar com um total de 35 elementos.  Armindo Faria, que dirigiu a sua última sessão enquanto presidente do LCV, afirmou ser “uma enorme satisfação” receber os novos membros do LCV, sabendo de antemão que o clube poderá contar com a sua “boa vontade e disponibilidade para o serviço”.

Para Armindo Faria foi também uma noite de balanços: “Não obstante o que deixamos de fazer [devido à pandemia Covid-19] – que não vou lamentar – eu já tive o grato prazer de reportar 42 atividades e ainda tenho mais uma dúzia delas para encerrar o ano. É um enorme prazer fazer parte deste grupo”.

Armindo Faria também entregou um pin ao fundador do LCV, João Cocharra. Esta pequena insígnia foi deixada pelo governador do Distrito 115 Centro Norte, João Pedro Silva, aquando da sua passagem por Vizela no último sábado. Além disso, o governador também deixou ficar um emblema pelo facto de o LCV ter sido considerado um clube de excelência. Este galhardete vem “atestar que, na verdade, nós não estamos aqui a brincar à solidariedade, nós somos efetivamente solidários”, afirmou Armindo Faria.

O ponto alto da noite esteve reservado para o fim, com a transmissão de tarefas. Cabe a Irene Costa liderar o LCV ao longo deste ano. No seu primeiro discurso como presidente, salientou ser uma “responsabilidade” a tarefa de presidir ao LCV. “Uma responsabilidade que não advém de um longo legado, mas de um legado de excelência pelo serviço prestado durante estes dois anos, servindo causas e necessidades”, referiu.

Irene Costa deixou elogios ao trabalho efetuado pelos seus antecessores [João Cocharra e Armindo Faria] e, nesse sentido, enalteceu que “a fasquia está alta”. Por isso, afirmou: “A humildade de aprender e a vontade de servir dão-nos a certeza de que (…) daremos o nosso melhor”.

A cerimónia de transmissão de tarefas terminou com um verde de honra.