Grupo Coral de S. Bento apresentou-se no 1º dia da Romaria

“Não há melhor maneira de começar os 25 anos de elevação a Santuário, não há melhor maneira de começar estas grandes festas”, dizia Xavier de Freitas, na quarta-feira à noite, após a inauguração do queimador de velas e das apresentações musicais.

Estas foram “as duas prendas magníficas que o S. Bento recebeu”, afirmou o responsável pela Confraria. Agradeceu ao presidente da Câmara Municipal de Vizela (CMV) e ao seu Executivo pela oferta do novo queimador de velas. “Parece uma coisa muito simples, mas não é, é muito importante termos um queimador e que seja um queimador de velas em altura”. “Tínhamos um queimador de velas muito pequenino, que não se identificava com o nosso espaço e o senhor presidente da Câmara não disse que não; foi quase em tempo recorde, foi há um mês que pensámos neste projeto”, indicou Xavier de Freitas. “Muito obrigado por tudo o que tem feito pelo Santuário, tem sido um parceiro incrível e sempre com as portas abertas para nos receber e nunca nos diz que não”, acrescentou ainda o responsável pela Confraria, aproveitando o momento para dizer aos presentes aquilo que já tinha avançado à Rádio Vizela e ao RVJornal: as obras de requalificação da zona envolvente ao Santuário começam em setembro e serão inauguradas em abril de 2025, “a tempo da próxima Romaria de S. Bento das Peras”.

Esta quarta-feira, 10 de julho, foi o primeiro dia da programação da 59ª Romaria. Além da inauguração do novo queimador de velas, benzido pelo reitor do santuário, padre Cândido Magalhães, teve lugar a atuação do Coro de Pais da Academia de Música da Sociedade Filarmónica Vizelense e ainda a apresentação do Grupo Coral Infantojuvenil de S. Bento das Peras, coordenado pela professora Dulce Costa. “Foi um sonho tornado realidade, que alguns disseram ser impossível”. “Este grupo coral não vai ficar só pela [animação da] eucaristia de domingo, vai continuar; nunca aconteceu o Santuário ter um grupo coral; esta é uma prenda que damos ao S. Bento e à comunidade e é um orgulho para nós, responsáveis pela Confraria”. “O senhor padre Cândido foi um dos que acreditou”, sublinhou Xavier de Freitas.

 

Santuário de S. Bento “é uma prioridade” para o Executivo camarário

 

“Estes dois momentos são a imagem da dinâmica que se tem vindo a implementar com a direção do senhor Xavier de Freitas, juntamente com a sua equipa e o senhor reitor, o senhor padre Cândido”, dizia Victor Hugo Salgado, presidente da CMV.

“Uma marca que ficará para estes 25 anos de Santuário é o queimador, que é relevante para o acolhimento das pessoas que vêm aqui; o queimador que tínhamos não ombreava com as remodelações que têm vindo a ser feitas neste espaço”, afirmava o edil vizelense, enaltecendo que “dentro de algumas semanas o queimador vai-se tornar completamente castanho e vai ganhar uma beleza e uma identidade maiores”.

Segundo o presidente da CMV, “as alterações nos últimos anos são visíveis”, no entanto, tal como referiu ainda, “ao longo dos próximos meses vamos ver uma revolução clara no S. Bento e isto é muito importante para o concelho”. O “S. Bento é uma prioridade” para o Executivo Municipal, “pela importância que tem para o concelho”. “Um espaço muito importante para a estratégia que o Município tem definido para Vizela enquanto destino turístico, chegou a altura de investirmos no S. Bento e de criarmos condições para que ganhe uma identidade mais abrangente e com uma capacidade de receber muito melhor”, assinalou o presidente Victor Hugo Salgado.

De Xavier de Freitas ouviu-se ainda o apelo para que os vizelenses, “para qualquer lado que vão promovam este espaço”.

PUB___