Biblioteca Municipal reabre a 01 de junho

Tal como todos os outros espaços, a Biblioteca irá reabrir com várias condicionantes.

A Biblioteca Municipal Fundação Jorge Antunes vê as suas portas reabrirem ao público no próximo dia 01 de junho, na terceira fase do processo de desconfinamento implementado pela autarquia vizelense. Esta reabertura traz variadas condicionantes, isto devido à situação epidemiológica pela qual o país atravessa.

Agostinha Freitas, Vereadora da Câmara Municipal de Vizela (CMV), em entrevista à Rádio Vizela, conta que as “novas regras da utilização da Biblioteca têm a ver com a limitação do espaço de utilização, tem a ver com as distâncias sociais, também tem a ver com a utilização, como é um espaço fechado, tem que ser utilizada a máscara, portanto não é permitida a entrada de pessoas sem máscara. “A utilização da biblioteca no espaço maior está limitada a um número restrito de pessoas, o que significa que na porta da Biblioteca, se a lotação estiver completa, vai ser colocado um papel a avisar que a lotação está esgotada, teremos também limitar o tempo de permanência dentro da própria biblioteca”. Em relação ao manuseio dos livros dentro da Biblioteca, a Vereadora explica que “as pessoas não podem aceder, por exemplo, às prateleiras, se quiserem ler um livro vão ter que pedir ao técnico que está lá e esse técnico é que lhe vai facultar esse livro, sendo que para manusear os livros serão necessárias luvas que serão fornecidas pela própria biblioteca”.

Com o tempo de permanência na Biblioteca limitado, a Vereadora afirma que “privilegia-se o programa criado pela CMV, o “Livro em Casa”, onde as pessoas podem também dirigir-se à Biblioteca e levantar o livro para levar para casa e ler”.

Para que esta reabertura fosse possível, segundo Agostinha Freitas, foi necessário “alterar algumas dinâmicas, tivemos que tirar cadeiras, tivemos que tirar sofás, não é permitido puffs, por exemplo, é necessário o distanciamento, portanto, é necessário que as mesas sejam colocadas de uma determinada forma para que as pessoas fiquem a uma distância superior de um metro e meio e, portanto, tivemos que rearranjar o espaço da própria biblioteca. As pessoas quando chegarem à biblioteca vão reparar que ela tem uma estrutura diferente, mas isso são as necessidades que a própria Direção-Geral das Bibliotecas Públicas deu a todas as bibliotecas”, frisou ainda.

Durante o tempo encerrada, a Biblioteca Municipal Fundação Jorge Antunes foi dinamizando todas as oficinas que ia promovendo junto dos leitores através da rede social Facebook. “A Biblioteca tem tido várias iniciativas associadas ao “Cultura Cá de Casa”, com a leitura de poemas, com a “Hora da Poesia”, na semana passada também promovemos o Dia do Autor Português em parceria com a Avicella, entre outros”. Para além disso, a CMV criou um espaço na plataforma criada para as AECS intitulada de “Biblioteca à Distância”.