Autarca António Ferreira reage aos comunicados

CMV e PS consideram que o protocolo deveria ter sido outro.

António Ferreira, presidente da União de Freguesias de Tagilde e Vizela (S.Paio), reagiu aos comunicados lançados esta manhã pelo presidente da Câmara, Dinis Costa, e pela concelhia do PS.

Recorde-se que ambas as notas contestam aquilo que consideram ter sido a quebra de regras protocolares no festival de Reis do passado sábado, aquando da intervenção de Victor Hugo Salgado e por a última lembrança e discurso, este ano, ter sido protagonizada pelo presidente da Junta e não pelo edil Dinis Costa. O autarca António Ferreira diz que a entrega das lembranças é feita de acordo com as pessoas que naquela altura se encontrem na sala. “Para mim é novidade esta reação, visto que eu procedi de forma igual aos outros anos. As pessoas que foram entregar as lembranças foram as que estavam presentes no espetáculo. Entreguei este ano a última, mas também no ano passado, juntamente com o Vereador André Castro, a representar a Câmara Municipal. Este ano, como a última atuação foi a dos bombos e é complicado com todo aquele barulho manter todas as pessoas presentes, pois estas começam a sair, achei por bem, como em outros anos, que o presidente da Câmara Municipal de Vizela interviesse em penúltimo lugar, para falar diante de mais pessoas”, explicou o presidente da União de Freguesias de Tagilde e Vizela (S.Paio).

Sobre a intervenção do vereador Victor Hugo Salgado, António Ferreira considerou normal, referindo que também Diana Silva, da Coligação, tomou da palavra naquela noite

“Achei tudo normal, tanto a intervenção do Vereador Victor Hugo Salgado como a da Diana Silva, representante da Coligação “Vizela é para todos” na Assembleia de Freguesia, e tambem não tive medo que ela tivesse a fazer campanha eleitoral. Considero que estávamos numa festa da comunidade e não de qualquer partido”, rematou o autarca.

 

PUB___