Assembleia Municipal aprovou Documentos Previsionais de 2018

Fica um pequeno excerto das intervenções desta noite.

Os Documentos Previsionais 2018 – Opções do Plano e Orçamento da Câmara Municipal de Vizela foram aprovados por maioria na Assembleia Municipal Extraordinária, realizada esta noite, na Casa das Coletividades.

O documento contou com o voto favorável dos deputados eleitos pelo Movimento Vizela Sempre e pela coligação PSD/CDS-PP e a bancada do PS votou contra.

Os Documentos Previsionais assentam num Orçamento de 17.708.130,26 euros. Victor Hugo Salgado, presidente da Câmara Municipal de Vizela, foi o primeiro a analisar o documento na sessão: “Para quem diz que este Orçamento não tem estratégia é porque na leitura do Orçamento esteve um pouco distraído. Se este Orçamento tem algo, é estratégia. É um Orçamento de contenção, cumpre as regras previsionais, faz uma redução da despesa corrente, aumenta a receita, faz a manutenção das transferências correntes e faz a duplicação das verbas para as freguesias”.

Carlos Alberto Costa, líder da bancada do PS, lamentou que o documento não devolva a glória e a grandeza que Vizela já ostentou e que não nele não esteja vertido uma estratégia para o concelho: “Este documento não apresenta uma nova estratégia governativa de desenvolvimento e progresso para Vizela. Elenca apenas algumas propostas isoladas, mas não integradas num todo harmonioso e é praticamente omisso em setores e áreas que deviam ser prioritárias para Vizela. Ao contrário do que diz o senhor presidente na sua mensagem, o concelho de Vizela não teve uma saída hábil do penoso PAEL, nem um ano eleitoral pejado de excessos, nem uma gestão carente de competência nos tempos mais recentes”.

Já Fernando da Costa Leite, líder da bancada da coligação PSD/CDS-PP, deu a conhecer as razões de o seu grupo municipal votar favoravelmente o documento. A coligação “revê neste Orçamento algumas das medidas da campanha [eleitoral] tais como a conclusão das obras do auditório municipal - ainda que não esteja definida a data da sua execução – um pacote de medidas de estímulo à natalidade que revemos neste Orçamento como o Cheque Bebé, reorganização da rede viária, melhorando o acesso às freguesias e aos seus fregueses, obras e apoio financeiro para as freguesias”.

O líder do Movimento Vizela Sempre, Jorge Oliveira, considera que o documento apresentado ajudará a alcançar o objetivo de se contruir um futuro melhor para Vizela: “O Orçamento em análise nesta Assembleia apresenta apenas o primeiro de quatro momentos que encerrarão em si o mandato 2017-2021 e vão ser vistos, a seu tempo, como um todo, cujo objetivo é devolver Vizela à glória que já ostentou e servir os vizelenses e estamos certos que irá permitir assegurar um futuro melhor para Vizela e ás suas gentes”.

Na sessão foi também aprovada por maioria a proposta de Mapa de Pessoal 2018. O Movimento Vizela Sempre e a coligação PSD/CDS-PP votaram a favor e o PS contra. As restantes propostas foram aprovadas por unanimidade.

 

Mais pormenores na próxima edição do RVJornal.