AR aprova voto de pesar pela morte de Virgínia Coutinho

Proposta de voto de pesar foi apresentada pelo PSD.

A Assembleia da República aprovou ontem, por unanimidade, um voto de pesar pela morte da moreirense Virgínia Coutinho, referência nacional na área do marketing digital, que morreu na quarta-feira, aos 36 anos. “Natural de Guimarães (freguesia de Moreira de Cónegos), Virgínia Coutinho era considerada uma das principais especialistas em redes sociais e uma referência no marketing digital no nosso país”, salienta o voto de pesar que foi apresentado pelo PSD.

O documento recorda que Virgínia Coutinho “estudou ‘visual merchandising’ na London College of Fashion da University of the Arts, tendo-se licenciado em comunicação de ‘marketing’ na ESEC e pós-graduado em gestão de empresas no ISCTE”.

Lembrando o seu percurso, o PSD assinala igualmente que “trabalhou no Brasil como representante da Facebook-Brasil e depois na empresa Socialbakers em São Paulo e em Praga ascendendo a diretora de ‘marketing’ global da empresa”, em “2014 publicou o livro ‘The Social Book: Tudo o que precisa de saber sobre o Facebook'”, e três anos depois regressou a Portugal, “tendo integrado o projeto de formação da Google”.

“Em 2018, fundou e dirigiu a Lisbon Digital School, uma escola de formação na área do marketing digital” e “em 2019 criou e promoveu o evento Upload Lisboa”, acrescenta.

“O legado da sua curta vida mistura um empreendedorismo vibrante com a solidariedade a que se dedicava. Nas últimas semanas de vida criou o ‘Fundo Virgínia Coutinho’ através do qual pretende apoiar o projeto “Tech4Good” da Associação “Girls Move” que visa apoiar jovens adolescentes em Moçambique com vista a favorecer o surgimento de uma nova geração de mulheres líderes”, é ainda destacado no voto de pesar.

PUB___