Alunos carenciados com refeição e lanches garantidos

Este é um serviço que está já a ser disponibilizado no Agrupamento de Escolas de Vizela.

Com a maioria dos alunos ainda em casa, os Agrupamentos, preocupados com as famílias que possam estar em dificuldade, disponibilizam-se para apoiar nas refeições. E isso está a acontecer, atualmente, na EB2,3 de Vizela, sendo que no Agrupamento de Escolas de Infias ainda não houve solicitações por parte das famílias, nesse sentido. Mas a diretora Rosa Carvalho mostra-se disponível para ativar o serviço caso haja pedidos: “No entanto, penso que isso não vai acontecer porque Vizela dá uma boa resposta no apoio social”.

A procura no Agrupamento de Escolas de Vizela também não tem sido muita e, neste momento, três alunos estão a usufruir do serviço, disponível para grupos de risco, famílias carenciadas, escola de acolhimento de filhos de profissionais, que estão contemplados na legislação que são prioritários. A procura foi reduzida, mas ainda assim é uma preocupação para o diretor Abílio Costa. “Porque sei que há famílias que devem estar com alguns problemas económicos, os alunos almoçavam todos os dias na escola e, neste momento, não sei por que motivo, não estão a procurar esses serviços. Também fazemos um suplemento alimentar no que diz respeito a pequeno-almoço e lanche, mas não temos tido mais procura, embora junto dos titulares de turma e dos professores diretores de turma temos feito uma sensibilização para que se alguma família esteja com um problema que solicite esse suplemento e esse acompanhamento alimentar para os filhos”, referiu o responsável. Quem precisar desse apoio, basta contactar a escola: “Ou almoçam aqui ou vêm buscar o almoço”.

Perante este período de exceção que atravessamos, Abílio Costa chama a atenção dos encarregados de educação para a possibilidade de revisão da sua situação, no âmbito da Ação Social Escolar. “Não só os subsidiados como também outras famílias que têm alunos que estão com dificuldades económicas podem recorrer a estes serviços desta escola de acolhimento, que lhes fornecerá almoço”, explicou o diretor.