Uma luta até ao último minuto

Zélia Fernandes

2017-04-20

Partilhe:

Remate Certeiro 20/04/17


1-Os campeonatos profissionais aproximam-se a passos largos do seu final, com as equipas a darem tudo para o alcance dos seus objetivos, se não forem os iniciais, são pelo menos aqueles que passaram a ser possíveis, a partir de certa altura das competições.
Um destes casos é o Moreirense que, inicialmente partiu para uma temporada onde se pretendia superar as anteriores, ou seja, tentar espreitar a Europa. No entanto, a partir de certa altura, a equipa focou-se na manutenção, tendo em conta os resultados. A época não tem corrido bem aos cónegos, situação atestada pela mudança de treinador, em duas ocasiões. Na passada segunda-feira, os cónegos foram vencer ao Nacional da Madeira e pode dizer-se que a vitória deu novo fôlego aos comandados de Petit, que agora têm uma margem de quatro pontos de manobra, para os seus diretos adversários, nesta luta pela manutenção. Apesar disso, a luta não será fácil e decerto será renhida até à última jornada.
O FC Vizela tem a mesma luta, desde o pontapé de saída da Ledman LigaPro 2016/17, ou seja, manter-se neste segundo escalão do futebol português. A caminhada não está a ser fácil e os vizelenses andam na corda bamba a cinco jogos do final da competição. Também em Vizela os maus resultados motivaram a saída dos treinadores e apesar de Carlos Cunha, o atual, ter incutido outra atitude à equipa, o certo é que nem todos os jogos terminam da forma desejada. O último, com o Olhanense, é exemplo disso mesmo, quando todos contavam com os três pontos, eis que os de Olhão, que precisamente no passado sábado viram consumada a sua descida de divisão, roubaram dois pontos com “dignidade”. Com os resultados desta quarta-feira, a situação dos vizelenses está ainda mais complicada, mas há que continuar a lutar, pois a manutenção é possível, haja vontade e empenho da equipa e apoio de todos os vizelenses. 

2-Não se pode generalizar, mas cada vez mais as claques de apoio aos clubes denigrem a sua imagem e por arrasto dos clubes que apoiam. Na génese destes grupos deviam estar exclusivamente o apoio e incentivo aos jogadores das suas equipas e não dedicarem-se a proferir palavras ofensivas e carregadas de ódio a outros jogadores, dirigentes e clubes. Houve recentemente em Portugal casos que envergonham os portugueses, envolvendo as claques dos clubes chamados “grandes”, que mostram que não há respeito, por nada, nem por ninguém. 
Lá por fora é igual ou ainda pior, e ao mais alto nível, ou seja, nas competições europeias. O Comité de Controlo e Disciplina da UEFA decidiu, na última quarta-feira, excluir o Lyon e o Besiktas das competições europeias, em regime de pena suspensa, devido aos incidentes ocorridos antes do jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, na última quinta-feira. Os dois clubes ficam agora condicionados durante dois anos, de acordo com o anúncio do órgão máximo do futebol europeu, sendo ainda multados em 100 mil euros. Lyon e Besiktas estão em risco, desta forma, de ser impedidos de participar na Liga dos Campeões ou na Liga Europa, caso voltem a infringir as regras de segurança. A UEFA concluiu que os adeptos de ambos os clubes foram responsáveis pelos graves confrontos sucedidos.