O FUTEBOL DA CRISTINA

Manuel Marques

2019-01-10

Partilhe:


Cristina Ferreira chamou o “futebol” ao seu primeiro programa na SIC, aguardado e publicitado até à exaustão após a maior transferência televisiva das últimas décadas. 
O presidente do Benfica foi o convidado. Quando se esperava que no mesmo horário o programa de Luís Goucha contra-atacasse com um convidado ao nível de Pinto da Costa, e aí teríamos um apetecível Benfica-Porto, a TVI ficou-se pela presença do cantor Roberto Leal que foi falar sobre um problema de visão que lamentavelmente o afeta. 
Há muitos anos, este famoso cantor transmontano com expressões brasileiras, deu o maior show da história das Festas da Vila de Vizela, no Parque das Termas, associando a sua atuação à rodagem de um filme sobre um suposto milagre de Santo Ambrósio que terá livrado o seu pai da cegueira. Roberto voltou mais tarde ao Parque mas mais recatado porquanto já havia outras estrelas do cancioneiro português. 
A vitória de Cristina sobre Goucha foi abismal face às repercussões das palavras de Vieira demonstrando o público e Imprensa estarem mais preocupados sobre quem será o novo treinador do Benfica do que se o cantor do “Eu Vou Eu Vou Lá para a Terra da Maria” se livra das cataratas e afins que lhe tolhem a visão. O futebol tem desta frieza e Marcelo Rebelo de Sousa é o inverso: tem tanto calor (populista) que telefonou à apresentadora para lhe desejar felicidades para o programa. Aguardo que faça o mesmo comigo este domingo de manhã quando apresentar na Rádio Vizela o “No Canto da Cidade”.  
Sobre a dupla da RTP Jorge Gabriel e Sónia Araújo, nada a dizer já que esta equipa luta apenas pela manutenção no campeonato das audiências, mantendo-se colada a um lugar cativo onde não dá o lugar a ninguém e até acha que não precisa de intervalo. Deixá-los que nós estamos cá para pagar. 
Na véspera do Programa da Cristina, portanto no último domingo, o jovem árbitro bracarense Bruno Leite dirigiu-se ao banco dos Amigos de Urgeses e expulsou o treinador por palavras. Armando Jorge alegou que não fora ele que falara, sentiu-se injustiçado e sentou-se no banco recusando a sair. Faltavam 17 minutos para o final e a sua equipa perdia com o Santiago por 1-0. Cumprindo o regulamento (art. 7.2 e 7.3) o árbitro deu a partida por terminada (ou interrompida) de forma insólita, deixando todos os desconhecedores das leis do futebol estupefactos inclusive o próprio treinador que desconhecia que perante a sua recusa em abandonar o banco dava direito ao árbitro de terminar o jogo. 
Cristina Ferreira não estará interessada em continuar a falar no seu programa sobre futebol (por troca com os crimes do Hernâni Carvalho), quiçá, sobre as leis de jogo que a grande maioria de jogadores, treinadores e dirigentes de todas as provas nacionais desconhecem até ao tutano, abafando (e lá goelas tem ela para isso) o ruído dos programas que supostamente deveriam falar sobre futebol de uma forma responsável e se tornam em autênticas peixeiradas dos debitantes? 
Fecho com uma nota de parabéns ao FC Vizela pelos seus 80 anos, ao ex-presidente Fernando Vieira e à Câmara Municipal que contribuiu significativamente para que a manhã do primeiro dia do ano fosse “mais Vizela”. Também foi para isso que virámos a linha ao comboio!